Seu filho não para quieto um segundo e já passou pela sua cabeça que pode ser hiperatividade?

Da mesma forma que o bullying, o termo hiperatividade é muito popular entre as crianças e adolescentes. Hoje, podemos dizer até que anda banalizado.

O post de hoje é um alerta para pais, mães e outras pessoas que convivem de perto com crianças e adolescentes. 

Ao final da leitura, queremos te ajudar a responder a pergunta:

Será que meu filho é hiperativo?

Continue a ler e entenda:

  • O que é hiperatividade
  • Os sintomas de alerta
  • Quem pode dar um diagnóstico

O que é a hiperatividade

A hiperatividade é um transtorno neurobiológico também conhecido como Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). 

Ele é caracterizado por sintomas marcantes como impulsividade e falta de atenção e mexe muito com a a qualidade de vida das pessoas. 

Seu diagnóstico é mais comum na infância, porém algumas pessoas são diagnosticadas na vida adulta.

Sinais de alerta 

O diagnóstico de hiperatividade não é feito com base em exames de imagem. Ele é clínico. Por isso, é importante dar atenção ao comportamento das crianças. Só assim você pode ajudá-las no processo. 

Como o diagnóstico é feito?

Você tem alguma suspeita com relação ao seu filho?
Então, o próximo passo é procurar um profissional. Geralmente, o pediatra é o primeiro.

Ele vai analisar o histórico do seu filho e orientar o processo observando critérios importantes e que vão além dos sintomas.  

Como pai e mãe, você conhece os comportamentos que chamam a atenção para o TDAH. O diagnóstico, contudo, só pode ser dado por um profissional. 

O TDAH influencia a vida dos indivíduos em graus diferentes. Por isso, mais do que buscar um diagnóstico para o seu filho, é fundamental entender como o transtorno impacta a vida dele.

Meu filho tem TDAH. E agora? 

Você recebeu o diagnóstico? Então, é hora de agir. 

Segundo a Associação Brasileira do Déficit de Atenção (ABDA), o tratamento de crianças e adolescentes com TDAH envolve uma intervenção multidisciplinar. Ele engloba profissionais da área médica, de saúde mental e pedagógica.

Além disso, a família é uma grande aliada no processo.

Identificar os sinais de hiperatividade parece fácil. Fechar um diagnóstico, porém, não é algo simples e requer tempo e observação. 

Como o transtorno mexe com todas as áreas da vida do indivíduo, é importante analisar o comportamento da criança e do adolescente em diferentes espaços, inclusive no ambiente escolar. 

Muitas vezes, o comportamento na escola é o que acende o alerta dos pais. Por isso, é tão importante contar com uma instituição que leve em conta não apenas a qualidade do ensino, mas que enxergue o aluno com atenção individualizada. 

Esse conteúdo foi importante para você? Então, compartilhe com outros pais que também podem se interessar.